Programa UFMS-PPG-Inovação

A partir de parceria feita com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Departamento Regional de Mato Grosso do Sul (SENAI-MS), a UFMS, por meio da Propp e da Aginova, apresenta o Programa UFMS-PPG-Inovação.

O Programa UFMS-PPG-Inovação é uma iniciativa inédita na UFMS e visa motivar projetos desenvolvidos no âmbito dos programas de pós-graduação stricto sensu acadêmicos da UFMS, para que busquem propor soluções aos desafios apresentados por empresas, ampliando a interação universidade-empresa e contribuindo para aprimorar a pesquisa acadêmica ao incrementar o processo de inovação.

Objetivos do UFMS-PPG-Inovação

  • Fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação na UFMS, por meio do envolvimento de estudantes de Doutorado, Mestrado e Graduação em projetos demandados pelo setor empresarial, mediante parceria com uma empresa, doravante denominada Empresa Parceira;
  • Contribuir para o aumento da capacidade inovadora e competitividade das empresas e do desenvolvimento científico e tecnológico no Estado de Mato Grosso do Sul, fortalecendo o sistema regional de inovação;
  • Fomentar ações de pesquisa e de pós-graduação relevantes para a sociedade, com impactos na formação dos estudantes de graduação e de pós-graduação;
  • Gerar novos conhecimentos visando a consolidação da pesquisa e da pós-graduação da UFMS; e
  • Promover interação transformadora entre a UFMS e outros setores da sociedade.

 Para entender melhor

  • O Programa UFMS-PPG-Inovação, Programa de Pós-Graduação para Inovação, é resultado de cooperação entre a UFMS e o CNPq, formalizado pelo Acordo de Cooperação 35/2018, visando fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação na UFMS e no Estado de Mato Grosso do Sul.
  • No Programa UFMS-PPG-Inovação, o bolsista de doutorado/mestrado acadêmico desenvolverá sua tese/dissertação como estudante de doutorado/mestrado em um curso de pós-graduação stricto sensu regular da UFMS existente, a partir de um projeto de pesquisa, devendo ter um orientador acadêmico vinculado ao respectivo Programa de Pós-Graduação (PPG), um supervisor da Empresa Parceira e, se aplicável, um profissional indicado pelo SENAI-MS.
  • A Empresa Parceira deve necessariamente desenvolver atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) em instalações próprias ou de terceiros.
  • A implantação do Programa UFMS-PPG-Inovação não implica na criação de novos cursos de pós-graduação. Trata-se de um programa institucional, não vinculado a qualquer curso ou PPG específico. Dessa forma, pretende-se fomentar a convergência entre diferentes áreas do conhecimento.
  • No caso de projetos de pesquisa vinculados a bolsas de Mestrado e Doutorado, espera-se, além da produção científica qualificada, que sejam gerados produtos ou processos inovadores que possam ser aplicados no setor empresarial/privado, e que tenham convergência com as atividades da empresa, e complexidade adequada para um curso de pós-graduação, em nível de mestrado ou doutorado.
  • A coordenação do Programa UFMS-PPG-Inovação será exercida pela Propp-UFMS.
  • Os projetos de pesquisa vinculados a bolsas de Mestrado e Doutorado Acadêmico poderão ter a participação de alunos de graduação, como bolsistas de Iniciação Tecnológica e Industrial (ITI).
  • As bolsas de Doutorado (GD), Mestrado (GM) e Iniciação Tecnológica e Industrial (ITI) serão disponibilizadas pelo CNPq, de acordo com as regras definidas por aquela agência e pagas diretamente aos bolsistas por ela.
  • O SENAI-MS é parceiro estratégico do Programa e prestará apoio nas fases de prospecção de empresas, identificação de desafios para a pesquisa aplicada e apoio aos supervisores das empresas, caso o proponente tenha interesse.

Primeira chamada para fomento

Para a execução dos projetos, serão disponibilizadas, por meio de Edital, 5 (cinco) bolsas GD (com duração máxima de quatro anos), 5 (cinco) bolsas de GM (com duração máxima de dois anos) a alunos regularmente matriculados em PPGs acadêmicos da UFMS; e 5 (cinco) bolsas ITI a alunos regularmente matriculados em cursos de graduação da UFMS, para a execução de projetos submetidos por seus orientadores. Cada projeto submetido no âmbito do Edital poderá solicitar até 3 (três) bolsas, sendo no máximo uma bolsa GD, uma bolsa GM e uma bolsa ITI.

Nesta primeira chamada, está sendo disponibilizado um total de R$ 732.000,00, vindo de recursos do CNPq. Para as bolsas GD, uma taxa de bancada mensal de R$ 394,00 (trezentos e noventa e quatro reais), para despesas relacionadas à execução do projeto, é também disponibilizada diretamente ao bolsista.

A Empresa Parceira deverá disponibilizar/repassar contrapartida de acordo com os valores abaixo, dependendo da bolsa concedida:
Bolsa GD – total de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para o período total de 4 anos;
Bolsa GM – total de R$ 8.000,00 (oito mil reais) para o período total de 2 anos; e
Bolsa ITI – total de R$ 3.000,00 (três mil reais) para o período total de 1 ano.

O recurso de contrapartida poderá ser disponibilizado em uma ou mais parcelas, na forma financeira, onde o valor deverá ser repassado à UFMS ou à Fundação de Apoio indicada pela UFMS, para despesas de custeio diretamente relacionadas ao projeto; ou na forma econômica, com o pagamento de despesas de custeio relacionadas à execução do projeto ou a doação à UFMS de equipamentos. Os equipamentos deverão ser incorporados ao patrimônio da UFMS.

Leia atentamente o
Edital Propp/Aginova 134/2018.
Aceite um desafio empresarial e participe. Inove.

E se for um desses desafios estratégicos, melhor ainda

  1. Produção de Biocombustíveis de primeira, segunda e terceira geração (Fossil Free Fuel).
  2. Processos de agregação de valor a recursos naturais locais e resíduos de produção do Estado de Mato Grosso do Sul.
  3. Produção de alimentos de rótulos limpos (Clean Label).
  4. Desenvolvimento de produtos, processos ou serviços para aplicações voltadas à saúde humana, saúde animal ou à produção agropecuária.
  5. Monitoramento e/ou remediação de impactos ambientais nas diferentes cadeias produtivas do Estado de Mato Grosso do Sul.
  6. Controle de pragas e doenças do complexo agropecuário e de inseto-vetores de interesse para a saúde humana.
  7. Reaproveitamento de energia calorífica dissipada por equipamentos.
  8. Automatização de processos produtivos da Construção Civil.
  9. Desenvolvimento de novos materiais.
  10. Desenvolvimento de conversão de aplicativos (sistemas de manutenção, gestão de logística, gestão energética e outros) de plataforma Web para Mobile.
  11. Aplicações em drone para sistema de georeferenciamento.
  12. Ferramentas visuais (Gamificações, Realidade Aumentada ou Realidade Virtual) para praticas industriais (simulações, aprendizados, validações).
  13. Desenvolvimento de hardware e software para aplicações IoT (Internet das Coisas) e/ou Cidades Inteligentes.
  14. Desenvolvimento de hardware e software para aplicações industriais.