Dados sobre a demanda PIBIC-2020-2021

A concessão de bolsas de Iniciação Científica e Iniciação Tecnológica tem como objetivo estimular os estudantes do ensino superior nas atividades, metodologias, práticas e conhecimentos próprios aos desenvolvimentos científico, tecnológico e de inovação, buscando despertar a vocação científico-tecnológica e incentivar novos talentos.

Para o ciclo 2020-2021, foram destinadas um total de 500 bolsas, em duas faixas, das quais 50 delas têm o objetivo de oportunizar novos pesquisadores e pesquisadores que não orientam Iniciação Científica e/ou Tecnológica com bolsa nos últimos 5 anos.

Este ano, das 500 bolsas ofertadas, 269 delas (53.8%) serão concedidas com recursos provenientes do orçamento da UFMS. As demais bolsas serão concedidas com recursos do CNPq. Um investimento histórico, que mostra a importância dada pela instituição ao fomento na formação de jovens pesquisadores. Além disso, 35% de todas as bolsas foram destinadas a pesquisadores lotados nos câmpus da UFMS.

A seguir temos alguns números e gráficos que mostram como foi a procura pelos pesquisadores da UFMS, no âmbito do Edital Propp 20/2020. Mas antes, veja o mapa do Brasil em termos de bolsas IC (gerado pelo CNPq).

Os resultados são auto-explicativos e refletem a demanda por PIBIC na UFMS por várias dimensões. Esses dados visam fornecer subsídios concretos para a definição da política de concessão de bolsas de Iniciação Científica e Iniciação Tecnológica pela UFMS.

  • Número de bolsas ofertadas no Edital PROPP 20/2020: 500 (35% para os câmpus)
  • Número de propostas submetidas: 623
  • Número de professores: 396 (21 com 3 propostas; 185 com 2 propostas; 190 com 1 proposta)
  • Professores que atuam na pós: 276 (69.7%)